Gravação: 7 dicas para entrar em estúdio e gravar sua música

16/12/2015

A cena é clássica. Primeira vez em um estúdio para gravar, alguém diz “gravando” e você começa a suar frio e dizer a si mesmo: “Agora fu#$%”. A maioria passa por isso, afinal a tensão só se perde com a experiência. Para ajudar aos marinheiros de primeira viagem e também àqueles que querem gravar novamente de um jeito melhor, selecionei dicas muito úteis de bandas que integram o movimento #ACenaViveSP. Confira conselhos de bandas que já tiveram músicas tocadas em grandes rádios, fazem sucesso na internet já dividiram palco com artistas do calibre de Pitty. Confira:

Ao gravar, música deve estar “pronta”
Ciro Rezende, baterista da 5prastantas: Uma coisa essencial é fazer uma boa pré-producão. O ideal é chegar na hora da gravação já com os arranjos, batidas, ideias, estrutura da música, tudo já definido e arrumado. Assim na hora da gravação você só se concentra em gravar. É claro que, durante o processo de gravação, podem surgir novas ideias, alterações, etc, inclusive por influência do produtor. Mas se for deixar para finalizar estas coisas todas só quando já estiver na gravação, certamente será dinheiro jogado fora, pois levará um tempo considerável, além de "consumir" energia e disposição dos músicos que irão gravar.

Procure produtor que entenda proposta da banda
Daniel Berrettini, batera dos Descolados do Mundo: É fundamental gravar com um produtor experiente para ter um resultado com qualidade. Mas tão importante quanto, é saber escolher o profissional. Precisa ser alguém que consiga entender a essência da banda! E faça o trabalho de lapidar as músicas e extrair o melhor de cada integrante. Há muitos produtores que logo de cara querem mudar tudo e fazer um disco ao gosto deles. Minha dica é: antes de escolher, conversem com vários profissionais e busquem aquele que se identifica com sua proposta.

Evite “correções” de estúdio
Caio Bars, vocalista da 5prastantas: Acredito que um dos pontos mais importantes hoje em dia é não tentar arrumar ou ajeitar tudo na edição. Temos hoje ótimas ferramentas que devem, sim, ser usadas, mas com extrema sensibilidade. Vemos por aí várias músicas com auto tune em TODA a voz ou quantizaçao de TODA linha de baixo ou bateria. Ao meu ver, é preciso tomar cuidado com esse falseamento e perfeccionismo exagerado, que tornam as gravações cada vez menos quentes e humanas.

Sua música, sua personalidade
Luciana Lívia, vocalista da Mafalda Morfina: É muito importante saber o que se quer da sua obra. Estabelecer um conceito para o álbum. Desde a seleção de composições e caráter dos arranjos, até o conteúdo estético (arte gráfica). Bons produtores musicais também são essenciais para enriquecer o trabalho. Um(a) produtor(a) que seja parceiro(a) e esteja realmente a fim de se envolver com a parada, que goste do som da banda ou artista. O CD tem que ter acima de tudo personalidade. A sua personalidade. Então é hora de colocar toda energia interior para fora. Equilibrar egos e ter força positiva para garantir o melhor resultado.

Extrema concentração no estúdio
Nando Menezes, vocalista do Mercúrio Cromo: Tocar em um show, em um ensaio e em um estúdio de gravação são coisas bem diferentes. Os ensaios servem para deixar as músicas redondas, não só para um show mas como pré-produção para uma gravação. Esse é o momento de descontração e criação, mas também, de extrema atenção do artista, para deixar tudo o mais perfeito e seguro possível, para que na hora do show ou gravação execute tudo com facilidade. Afinal, há muita coisa para se preocupar durante um show, como interação com público, interpretação, performance, etc. E na gravação não é diferente, tem a sincronia com o metrônomo, a impressão correta do que quer passar, o curto tempo de um estúdio, a grana investida e o nervosismo com o REC.

Busquem conhecimento... e referências
Thiago Lecussan, guitarrista da 5prastantas: acho fundamental para uma boa gravação obter referências. Filtrá-las ajudará a definir a identidade do track que será gravado desde o início, deixando pouca coisa para "ajustar na Mix". Tem muita gente que grava sem ter referência nenhuma de timbres, texturas, andamento etc. e deixa para "resolver depois" algo que deveria ser pensado antes. Isso gera desgaste, trabalho dobrado e pode prejudicar até o produto final. Essa dica vale também para a concepção/conceito e se estende até o ato da gravação e finalização. Nesta etapa é importantíssimo ter um "Norte", um caminho e, como muitos já disseram, o produtor é a peça fundamental para uma boa gravação.

Conversem antes para evitar frustrações
Fernando Moraes, vocalista da Rota Ventura: Como não poderia deixar de fazer, dou minha dica aqui. Antes de entrar para a gravação, faça uma guia, converse com os integrantes, defina o que está legal e corrija o que pode melhorar. Assim que todos tiveram uma visão de como será o som e entrarem em acordo, aí sim gravem. É muito melhor ter a certeza de como será a música antes, do que dizer depois: “não era bem isso que estava esperando”.

Fonte: Whiplash, escrita por Fernando Moraes